Itinerários Formativos em Ação

Com a aprovação das Diretrizes Curriculares Nacionais e a etapa do Ensino Médio da Base Nacional Comum em 2018, abria-se a possibilidade de oferta de um Novo Ensino Médio para milhares de estudantes no Brasil. Entre as inovações trazidas, sem dúvida, a ideia de itinerários formativos e de que os estudantes, além de terem direito a uma formação geral básica, poderiam escolher trilhas de aprofundamento entre cinco itinerários possíveis, talvez seja a maior delas.

Os itinerários formativos são um conjunto de situações e atividades educativas que os estudantes podem escolher conforme seu interesse, para aprofundar e ampliar aprendizagens em uma ou mais áreas do conhecimento – Linguagens e suas tecnologias, Matemática e suas tecnologias, Ciências Humanas, Sociais e Aplicadas ou Ciências da Natureza e suas tecnologias- na formação profissional e técnica, ou numa combinação entre elas. 

Nos itinerários, o foco é expandir os aprendizados promovidos pela Formação Geral do Ensino Médio, sendo que, no caso daqueles itinerários relacionados às Áreas do Conhecimento, essa ampliação acontece em articulação com temáticas contemporâneas sintonizadas com o contexto e os interesses dos estudantes. 

Na Formação Técnica e Profissional, a expansão se dá juntamente com o desenvolvimento de habilidades básicas requeridas pelo mundo do trabalho e habilidades específicas relacionadas aos Cursos Técnicos, Cursos de Qualificação Profissional (FICs) ou Programa de Aprendizagem Profissional escolhidos pelos estudantes.

Considerando a pesquisa Nossa Escola em (Re)construção – feita pelo Porvir com aproximadamente 150 mil pessoas em todos país – 25% dos jovens diz desejar ter na escola algumas disciplinas obrigatórias e poder escolher outras. Outros 19% gostariam de poder escolher todas as disciplinas a serem estudadas. A proposta dos itinerários, portanto, é muito promissora por considerar esses interesses, além de favorecer que os jovens possam finalizar o Ensino Médio tendo um diferencial em seu histórico escolar, considerando suas opções e perspectivas futuras.

Se em 2018 essas mudanças pareciam distantes e, até difíceis de acontecer, agora estão cada vez mais próximas. Seja porque 21 das 27 unidades federativas já entregaram aos respectivos conselhos estaduais e distrital de educação seus referenciais curriculares para análise – sendo 12 já aprovados e homologados – ou porque os itinerários formativos começam a chegar aos estudantes.

A Secretaria Estadual de Educação de São Paulo foi a primeira a aprovar e implementar no país o referencial curricular de acordo com o Novo Ensino Médio. A partir de uma iniciativa da secretaria de educação – em parceria com o Centro Paula Souza para a Educação Profissional e Técnica e de uma rede de apoio para a organização dos itinerários por áreas do conhecimento -, os estudantes da primeira série já estão indicando suas preferências e intenções de itinerários formativos. São itinerários nas áreas de conhecimento, integrados e até com possibilidade de qualificação profissional inserida. 

Em junho, as ementas de 14 trilhas de aprofundamento escritas por educadores da rede, com apoio técnico-pedagógico de especialistas do Instituto Reúna, chegaram para os estudantes e educadores. Elas consideram a ampliação de conhecimentos, os eixos estruturantes dos itinerários formativos (investigação científica, processos criativos, mediação sociocultural e empreendedorismo), o desenvolvimento integral do estudante, a educação inclusiva, a cultura digital, a transdisciplinaridade e a interdisciplinaridade.

Tem sido muito interessante acompanhar o interesse dos estudantes, educadores e gestores escolares no processo de conhecer e escolher os itinerários formativos. Será ainda mais interessante vê-los em ação. Mas isso é assunto para outro post!

Para esta ação o Instituto Reúna conta com a parceria do Instituto Natura, da Fundação Telefónica, do Itaú Educação e Trabalho e do Instituto Sonho Grande. 

Saiba mais em https://www.educacao.sp.gov.br/educacao-sp-apresenta-itinerarios-formativos-para-o-novo-ensino-medio/

 

Por Katia Smole.

 

+ Leia mais: Você conhece o nosso programa de formação para professores do EM? Acesse o Nosso Ensino Médio e aproveite!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 Comentário

  • Francisca Das Chagas Alves Da Costa Cardoso Caroso 4 meses atrás

    Na expectativa de que a implantação do Novo Currículo do Ensino Médio, seja de muito sucesso e que satisfaça os anseio dos discentes do nosso pais, espero também qualificação e valorização para os docente.