O Reúna e as inovações do Ensino Médio

Quando você pensa no Ensino Médio, o que vem à sua cabeça? 

Haverá quem rememore boas lembranças da juventude e suas descobertas, o convívio com os colegas, os planos para o futuro, uma escola viva e pulsante com o envolvimento em várias atividades culturais, esportivas e acadêmicas. 

Mas também haverá quem se lembre das altas cobranças, do número excessivo de atividades, das avaliações que não refletiam suas aprendizagens, da pressão para fazer escolhas profissionais sem critérios, de aulas que pouco se conectavam com seus interesses e aptidões. 

E, claro, haverá aqueles que não têm memórias afetuosas porque dividiam seu tempo entre estudar e trabalhar e isso era bastante exaustivo.

Sim, as experiências que temos ao longo da vida são múltiplas, mas algumas delas nos marcam profundamente, pela importância que ocupam em nossa trajetória. O Ensino Médio costuma ser um desses momentos que, não raro, assistimos ser representado nos filmes e novelas, mas que, na realidade brasileira, enfrenta muitos desafios que não aparecem na tv. 

Foi pensando nesses desafios e motivados pelo desejo de oportunizar que essa etapa final da educação básica pudesse efetivamente se traduzir em melhores experiências de aprendizagem — e que sejam também consistentes, significativas e conectadas com as juventudes — que foram pensadas, junto à BNCC, uma série de inovações para o Ensino Médio. 

Elas vão começar a ser implementadas em todas as escolas brasileiras a partir de 2022, mas já vêm sendo experimentadas por estudantes em todo o país e de diferentes formas, desde 2018. São inovações que surgiram a partir de um processo ativo de escuta às juventudes que estão na educação pública – onde se concentra aproximadamente 80% das matrículas do Ensino Médio. Essa juventude há muito demonstra insatisfação com a lentidão da escola para acompanhar as mudanças sociais e culturais da sociedade.

Abertura ao novo  

Toda mudança provoca um pouco de ansiedade e insegurança em relação ao novo e grandes expectativas quanto aos seus resultados. Além disso, elas exigem do poder público e dos educadores abertura ao novo e grande capacidade de planejamento, articulação e realização, para que as mudanças aconteçam com êxito e atinjam plenamente os objetivos a que se propõem. Por essa razão, desde a elaboração das propostas de inovação no Ensino Médio que uma verdadeira rede de apoio vem sendo articulada para compor com as secretarias de educação, com os educadores e estudantes nessa importante travessia. 

Essa rede se constituiu por reconhecer o potencial que as inovações propostas têm de proporcionar experiências que contribuam para uma formação consistente do ponto de vista acadêmico, pessoal, social e profissional, bem como para o planejamento e concretização dos projetos de vida dos jovens. 

Estamos falando de uma formação integral, integrada, que reconhece e valoriza as diversas juventudes e traz os jovens, seus conhecimentos, experiências e anseios para o centro dos processos de ensino e aprendizagem. Estamos falando, sobretudo, de uma formação que se direciona para o desenvolvimento pleno, para a autonomia intelectual e atuação ética e cidadã.  

O Reúna e o Ensino Médio

Por essa razão, o Instituto Reúna se orgulha de fazer parte dessa rede de organizações. Nossa principal contribuição consiste no desenvolvimento e disponibilização gratuita de recursos técnico-pedagógicos que têm apoiado as secretarias de educação e os diferentes atores educativos na compreensão e implementação da BNCC e das inovações curriculares do Ensino Médio. 

A nossa primeira contribuição foi a elaboração das Matrizes Curriculares, projeto desenvolvido em parceria com a Fundação Roberto Marinho, que apresenta um conjunto de habilidades da BNCC, consideradas prioritárias para orientar as produções educativas, mas especialmente em projetos de aceleração da aprendizagem e Educação de Jovens e Adultos. 

Em seguida foram desenvolvidas a BNCC Comentada, os Parâmetros de Qualidade para Avaliação do Currículo do Ensino Médio e  os Referenciais para Seriação. 

A Base Comentada para o Ensino Médio, que foi lançada em 2019, é uma ferramenta que traduz, comenta e explica as competências específicas e as habilidades de cada área de conhecimento desta etapa.

Já os Parâmetros de Qualidade permitem a leitura crítica dos currículos do Ensino Médio com base em rubricas de avaliação. 

 Lançado em agosto de 2021, o Referencial para Seriação das Matrizes Curriculares no Ensino Médio: Língua Portuguesa e Matemática apresenta uma possibilidade para a distribuição das habilidades desses dois componentes de modo a consolidar, aprofundar e ampliar as aprendizagens trabalhadas nos anos anteriores.

Depois das iniciativas voltadas à reelaboração dos currículos referenciais, desenvolvemos – em parceria com o Instituto iungo e Itaú Educação e Trabalho – uma plataforma voltada para a formação dos educadores, chamada Nosso Ensino Médio

A plataforma foi construída para e com as secretarias de educação e contém: (i) orientações para a elaboração do Plano de Formação da rede e o plano de formação da escola; (ii) pautas formativas, ppts, infográficos, vídeos e podcasts que apoiam o trabalho dos formadores e (iii) trilhas de aprendizagem online para a formação direta dos educadores interessados em compreender e atuar na implementação do Ensino Médio. 

Acompanhe nosso blog e nossas redes sociais que sempre que tivermos novidades que apoiam o Ensino Médio, contamos com vocês. Acessem, conheçam, usem e compartilhem! 

 

* Por Clea Maria Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *